Crianças ou futuros gênios?


Postado por: Explay

                Sugata Mitra tinha tudo para ser um simples indiano que em 1999 dava aulas de programação de computares numa área pobre de Nova Delhi, Índia, próximo a uma favela. Mas, a partir de sua boa vontade e estudos aprofundados em sua área, ele decidiu fazer um experimento: abriu um buraco no muro da favela, colocou um computador no buraco e simplesmente o deixou lá para que as crianças pudessem brincar com ele. Uma destas se aproximou e perguntou o que era aquele aparelho. Ele sorriu, disse que não sabia e foi embora.

                Antes de pensar duas vezes podemos ver tal atitude como inútil ou até mesmo agressiva àquelas crianças Indianas que podemos julgar como ‘pobres de conhecimento’. Se este pensamento lhe passou pela cabeça, continue a ler e peça perdão pela sua má alienação.

                Sugata voltou após passadas algumas horas para descobrir o que aquelas crianças tinham feito com o novo aparelho, e o resultado foi surpreendente: aqueles garotos e garotas, que nunca tinham tocado num computador, não sabiam o que era internet e não falavam inglês já tinham aprendido a navegar na rede!

                Foi partindo desse fato que Sugata aprofundou suas pesquisas e descobriu que as crianças, quando estimuladas, são capazes de aprender sozinhas as coisas mais complexas! Por isso, crianças instigadas e encorajadas por educadores, junto com o acesso a boas ferramentas, são capazes de obter conhecimentos estrondosos e muito maiores que os nossos próprios. Isso inclusive acontece, pois quando somos adultos, enxergamos barreiras e obstáculos que são facilmente ignorados pelas crianças, além do mais, somos facilmente interrompidos por outros assuntos, que confundem a nossa mente.

                 Como bom exemplo, temos a garotinha do miserável vilarejo no interior da Índia, que respondeu a questão de Sugata de como eles puderam entendem um website em inglês: “você nos deu uma máquina que só funciona em inglês, aí tivemos que ensinar inglês a nós mesmos”. Consegue entender a praticidade?

                E ao contrário do que dizem por aí, as novas tecnologias digitais não “estragam” as crianças. Esses novos meios, desde que juntamente com perguntas desafiadores, e um pai/mãe ou professor que as encorajam, possibilita a “educação minimamente intrusiva”. A educação simplesmente acontece sozinha!

                Segundo a Super Abril, Sugata tem o objetivo de erguer uma infraestrutura digital para oferecer desafios e encorajamento para alunos do mundo inteiro. Mas um projeto já está em andamento: o “Granny Cloud”, ou ‘nuvem de vovós’ conta com diversas senhoras britânicas que passam horas do seu dia ajudando na educação das crianças indianas. Tudo o que elas têm que fazer é ouvir as crianças e encorajá-las, com exclamações do tipo “uau, como você conseguiu descobrir isso?”

                Afinal, após ler esse post você provavelmente se lembrou daquela época em que fazia um desenho na escola, e após ser elogiado por um professor, passou a mostrar ele a todos os seus colegas e familiares. Lembra-se como era estimulante?

                Crianças são facilmente adaptáveis, e com essa “ferramenta” podemos salvar o miserável mundo em que vivemos. Você já pensou se estará vivo daqui a 50 anos? Vamos apostar não somente no futuro do nosso país, mas sim no futuro do mundo: as crianças!

Fonte: Super Abril