O Processo de Co-Criação


Postado por: Explay

Antes do Mundo Digital o sucesso de um novo produto ou serviço era uma incógnita até seu lançamento. As pesquisas qualitativas e quantitativas reduziam as chances de erro, sem dúvida, mas a verdadeira reação do público geral só era auferida quando o jogo já estava valendo – com linhas de produção ativas e lançamentos realizados. Naqueles dias os departamentos de inovação, P&D e marketing precisavam ser verdadeiros celeiros de ideias. Eles estavam sozinhos, vez que o público geral muito pouco – ou nada – colaborava com o processo criativo das corporações.

Em resumo: as empresas gastavam rios de dinheiro para desenvolver ideias e colocar apenas algumas delas em prática. Mais: destas poucas utilizadas, apenas uma pequena parcela seria bem aceita pelo público. Ou seja, a maioria absoluta das propostas sugeridas pelos departamentos internos das empresas era dispensada, seja por visão ou miopia estratégica. Apesar de todo tempo e dinheiro “jogados fora”, aquela era a única forma de fazer algo novo naquele dias proto-internéticos.

A web permitiu identificar feedbacks a baixo custo, com altos índices de velocidade e assertividade 

O Mundo Digital deu voz ao indivíduo. Ele que até então se comunicava boca a boca com seus pares, passou a se manifestar de forma pública através das redes sociais e afins. Ele começou a emitir mensagens sobre tudo, inclusive empresas, produtos e serviços. E as empresas mais atentas perceberam a oportunidade de ouvir estas vozes e atender às suas expectativas. Via opiniões do público, as empresas passaram a:

– Economizar: redução de investimentos em pesquisas, vez que o próprio público, principalmente os heavy-users, trazem informações importantíssimas para a operação sem cobrar por isso;

– Ganhar tempo: no lugar de pesquisas tradicionais, com estudos de amostragem, coleta e tratamento de dados, a web traz informações instantâneas sobre o que um ou mais públicos acham de uma empresa e seus produtos;

– Acertar mais: sem intermediários e interpretações via empresas de pesquisa, a assertividade das análises é muito maior no Mundo Digital.

Para uma boa execução de tais atividades as empresas utilizam equipes especializadas e softwares de monitoramento. Estes últimos varrem a web full time em busca de citações à empresa, seus produtos, concorrentes e outras palavras relevantes definidas pelo cliente e sua agência de comunicação online. Alguns exemplos de aplicativos de monitoramento são: SCUP, Seekr Monitor, Topsy, Zubit e Brandviewer, entre outros.

Estava tudo pronto para a Co-Criação

Com a ponte estabelecida entre empresas e público, nada mais natural do que convidar estes últimos para desenvolver novos produtos e serviços em conjunto com a empresa. O que parecia impossível antes da web  é a bola da vez no marketing atual (marketing como um todo, vez que o próprio conceito de marketing digital já é considerado ultrapassado – não é possível fazer marketing nos dias atuais sem levar em consideração o cenário digital) – a Co-Criação. Como o próprio nome já diz, trata-se do processo de criação conjunta entre empresa e público. A empresa lança a ideia e pede auxílio do público. Este adere em maior ou menor grau, em função da atratividade do projeto, recompensas etc. Agora, por exemplo, a batata americana Lay´s  (uma das empresas do grupo PepsiCo, junto com Ruffles, Doritos e muitas outras) lançou um desafio que está dando o que falar – o “Do Us A Flavor”. Eles convidam todo o público norte-americano a sugerir novos sabores de batata. O mesmo público vota nos sabores que mais gostou. E, por fim, o grande vencedor leva 1 milhão de dólares para casa. Clique aqui para conhecer a iniciativa.

lays

Outra empresa que trabalha o processo de co-criação com maestria é o Starbucks. Eles criaram um site chamado My Starbucks Idea. Lá eles convidam o público a trazer sugestões para as mais diversas situações da empresa – sabores de café, novas comidas, locações, tecnologia e muito mais. O que mais chama a atenção neste projeto é a co-criação continuada – o projeto não parece ter prazo para acabar, muito pelo contrário. Enquanto escrevo este post, percebo que nas últimas 4 horas eles receberam pelo menos 10 ideias. Vide painel a seguir:

starbucks

No site existem informações sobre as ideias em ação, processo de conquista de pontos e benefícios (os usuários mais ativos são premiados pelo Starbucks).

2

Você e sua empresa já estão co-criando com o seu público? Esta tendência só tende a crescer, portanto, não perca tempo. Quanto mais cedo o público participar, mais ideias, seguidores e até mesmo evangelizadores a sua marca terá.