Os Desafios Técnicos da Comunicação Digital


Postado por: Explay

A Comunicação Digital precisa de processos bem definidos para o seu bom desenvolvimento

Trabalho há 20 anos com comunicação digital. Tive a oportunidade de participar dos primórdios do desenvolvimento de sites e CDs multimídia, atividades que mesclavam programação, design e redação publicitária. Gradativamente estes trabalhos evoluíram para acompanhar as evoluções da web – sites passaram a ser buscados por avançadas ferramentas de busca, a velocidade da web permitiu que a multimídia operasse online, dispositivos móveis trouxeram o conceito de aplicativos ao dia-a-dia dos usuários… enfim, o resultado é a revolução digital que veio para ficar. E que provavelmente ainda tem muito a nos mostrar e surpreender.

O que nem todo mundo percebe é o desafio constante dos desenvolvedores para manter as coisas funcionando. Por exemplo, você já encontrou o sistema do seu banco fora do ar? Um e-commerce que não consegue concluir a compra? Ou o sistema interno de sua empresa ou universidade inacessível? Provavelmente sim. E a manutenção dos sistemas em pleno funcionamento é fundamental para o sucesso da comunicação digital.

E por que estes problemas ocorrem?

Os sites e sistemas são como máquinas em operação constante. Apesar de todos os esforços, a qualquer momento algo pode dar errado. Claro, existem ferramentas para minimizar riscos e danos, mas isso tem um custo. Quanto melhor a estrutura técnica de um site, menores os riscos e maior a velocidade de reação em caso de problemas.

Comunicação Digital - Motor Explay

Direitos autorais: donatas1205 – Bigstockphoto.com

Vamos então entender as principais causas dos problemas em sites e sistemas online

Atualizações – usuário

Os navegadores web, sistemas operacionais, aplicativos, anti-vírus e similares oferecem atualizações constantes, visando evoluir a qualidade do serviço oferecido ao usuário. Porém, é mais do que habitual que uma atualização traga consequências ao uso de determinados sites e sistemas online. A exemplo do efeito borboleta, que afirma que o bater de asas de uma borboleta em Tóquio pode provocar um furacão em Nova Iorque – as consequências de determinadas atualizações são às vezes catastróficas para um sistema ou dispositivo

Atualizações – desenvolvedores

Os desenvolvedores precisam com frequência renovar as tecnologias utilizadas em seus serviços. Claro, as grandes evoluções ocorrem com maior previsão, mas pequenos ajustes são praticamente constantes. Além disso, não é incomum que sem aviso prévio os desenvolvedores se deparem com novidades repentinas trazidas pelas empresas de quem adquirem tecnologias. No caso de software livres, tal situação é ainda mais frequente – com o agravante de não existir um suporte técnico formal para atender as demandas necessárias.

Imprevistos

Situações inesperadas, como crescimento inesperado de acessos, também respondem por boa parte dos problemas enfrentados pelos sites. Por essas e outras é comum ouvirmos: Exatamente no dia de mais acesso o site saiu do ar! Sim, é das situações mais comuns. E mais do que uma simples coincidência, geralmente o alto volume de acessos é um dos – senão o maior – responsáveis pela queda do sistema.

Falta de planejamento

Fazer a manutenção de um site é mais ou menos como fazer a manutenção de uma estrada de alto tráfego. Ao mesmo tempo em que dezenas, centenas ou até mesmo milhares de pessoas precisam das atualizações no sistema, é importante que o serviço a elas disponibilizado não pare. É importante que o sistema traga o serviço provisório com o mínimo de traumas, mínimo risco, alta velocidade e resultados finais que justifiquem todos os esforços da mudança. Não é nada fácil. Portanto, é fundamental que a equipe envolvida seja capacitada e com claros processos de trabalho. Só assim será possível compreender as diferentes etapas do processo, seus prazos, valores, riscos e planos de contingência.

Comunicação Digital - Error - Explay
Direitos autorais: AlexWhite – Bigstockphoto.com

Sugestões para a boa gestão de sites

Curiosamente, a maior parte dos problemas em sites não têm origem na área técnica. A maioria dos problemas surgem da intervenção de atores não capacitados no processo. São estes que comumente questionam prazos, valores, forma, necessidade – ou não – de ferramentas de segurança e outras. Cabe então ao gestor do processo atentar aos pontos a seguir para não ficar refém de profissionais de outras áreas que insistem em atrapalhar o bom desenvolvimento de atividades técnicas:

  • As pessoas que participam do processo técnico são capacitadas para tanto?
  • Existe uma governança estabelecida para a gestão das atividades técnicas?
  • Todas as etapas do processo estão documentadas, com planos de ação para situações de evolução, emergência etc.?
  • A equipe técnica responde a um conselho verdadeiramente preparado, capaz de analisar a qualidade, segurança e índice de inovação de seus esforços?

Fica então a sugestão final aos gestores de sites – confie na sua equipe técnica. E caso tenha dúvidas quanto à sua competência, busque auditoria qualificada para um melhor direcionamento. A opinião de atores não-qualificados no processo é tão efetiva quanto a presença de um advogado no centro cirúrgico.